Dicas de Mercado

Gestão de Carreira

A gestão de carreira eu considero mais como organizar a gestão do seu conhecimento que nasce, cresce e se perpetua, assim vamos traçando alguns passos para seguirmos. Primeiramente eu sou totalmente contra a idéia de que aprendemos uma profissão na faculdade, você se profissionaliza com o passar dos anos e a faculdade é só uma etapa. Com tanto conhecimento jorrando por aí, sendo bom ou ruim a faculdade se tornou um pequeno passo na carreira das pessoas, mas vamos ao tema principal. A primeira etapa da gestão da sua carreira é a fase da absorção de conhecimentos, eu acredito ser a fase mais longa das nossas vidas, com o tempo nós acabamos descobrindo que tudo nos serve de experiência, incluindo até lições da infância, as vezes nos faz pensar e nos posicionar em como agir em diversas situações. É nesta fase que entra a educação formal, com educação básica, faculdade, pós-graduação, idiomas, workshops, feiras, eventos, internet, livros, família, amigos, simplesmente tudo que possa nos ensinar algo, mesmo que seja o que não seguir é válido, tudo vai somar e engrandecer a gestão da sua carreira. Na média esta fase se dá até os 30 anos, mas aí vem a pergunta porque existem diretores entre 25 e 30 anos, gerenciando empresas se ainda estão na fase do conhecimento? A resposta é até bem simples, você conhece algum médico que seja diretor de hospital com 25 anos? E diretor de empresas de tecnologia e inovação? A segunda hipótese é muito mais fácil de ocorrer, por um simples motivo, por mais curiosa que a pessoa seja, ninguém se especializa em medicina com 16 anos, já no caso do ramo de tecnologia, encontramos jovens com 16 anos que são experts no assunto, neste ramo se adquire conhecimento muito mais rápido, mas tem que se atualizar muito mais rápido também. A segunda fase é o amadurecimento, onde a pessoa já adquiriu todo o conhecimento básico necessário e começa a se atualizar, buscar novas idéias e até novas profissões, complementando o conhecimento já adquirido, as pessoas não são mais vistas como aprendizes e já começam a virar referência para quem está iniciando, as responsabilidades são maiores, em média duram dos 30 aos 40 anos. A terceira fase é a perpetuação do conhecimento, a fase mais legal, pelo menos é o que eu acho, é a fase em que a pessoa se dedica a repassar tudo aquilo que ela aprendeu, não que isso não tenha acontecido em algum momento da vida da pessoa, mas é nesta fase que este papel de tutor, professor, líder ou até guru se aflora, é aqui que as pessoas se tornam referência para outras pessoas. O que eu mais vejo são pessoas querendo ultrapassar etapas e ser referência em alguma coisa com 18 anos de idade, tirando os grandes gênios da humanidade, que são pessoas raras, 1 em 1 bilhão, ser alguém a ser seguido tão novo não dá certo, vai acabar mostrando em algum momento que não amadureceu o suficiente. Você aposta que o Neymar possa ser referência no futebol para alguém, só executar bem aquilo que ele aparentemente nasceu pra fazer, não o faz um grande ídolo, ele ainda vai ter que mostrar muita coisa, no profissional e no pessoal, ou será que alguém vai arriscar dizer que o ator Robin Williams, encontrado morto aos 63 anos, que mesmo sendo reconhecido mundialmente por seus papéis de comédia, que sofria de depressão profunda, não possa ser considerado uma referência para muitos atores. Tudo tem o seu tempo, somos todos humanos com defeitos e qualidades, se você souber gerenciar sua vida e sua carreira, de forma inteligente e planejada, seguirá um caminho de sucesso, seja ele de que tamanho for, o caminho ou o sucesso. No final só existe uma regra, ninguém é tão velho que não possa aprender e ninguém é tão novo que não possa ensinar.

Fonte: Valmir Pereira Lima